A importância da margem de contribuição no sucesso do negócio

por Equipe de conteúdo

Margem-de-contribuição

 

Margem de Contribuição de forma bem direta é um indicador financeiro capaz de mostrar se a receita de uma empresa é suficiente para pagar os custos e as despesas fixas e, ainda assim obter lucro.

Apesar da sua aparente simplicidade trata-se de uma informação fundamental para qualquer gestor, afinal se a empresa está vendendo, mas não está lucrando em algum momento a curto ou médio prazo vai acabar indo à falência.

Portanto calcular a margem de contribuição é uma ação absolutamente necessária que o empreendedor deve realizar regularmente para avaliar a saúde financeira de sua empresa.

Vamos lá então…

O que é margem de contribuição?

Também conhecida como ganho bruto, a margem de contribuição representa quanto do lucro da venda de cada item do estoque contribuirá para a empresa cobrir todos os seus custos e despesas e ainda gerar lucro.

Com base nisso, o empreendedor pode calcular a quantidade mínima de produtos precisará vender para cobrir os custos da operação.

Para chegar à margem de contribuição, usamos a fórmula desse indicador que é o valor das vendas, menos o valor dos custos e despesas variáveis:

Margem de Contribuição = Valor das Vendas – (Custos Variáveis + Despesas Variáveis)

Em dúvidas sobre a diferença entre custos e despesas? Leia nesse artigo: Custos e despesas, você sabe a diferença?

Vamos exemplificar:

Imagine que uma empresa planeja vender mensalmente 200 unidades de um determinado produto a R$ 100,00 cada unidade.

A empresa paga ao fornecedor desse produto R$ 38,00 por unidade e à cada venda realizada mais R$ 11,00 de custos variáveis são agregados.

Logo, nossa margem de contribuição nesse produto seria de:

Margem-de-contribuição

No caso acima. Significa que se a empresa vendesse e recebesse à vista as 200 unidades, a margem de contribuição com esse produto seria de R$ 10.200,00.

Opa, então a empresa teria no final do mês um lucro de R$ 10.200,00?

Calma, não é bem assim, devemos considerar as despesas fixas da empresa, afinal as contas que mantém a empresa tem que ser honradas.

Aluguel, folha de pagamento, telefone, internet, água, energia, salários, honorários contábeis, segurança, etc. são despesas que a empresa terá que pagar, e espera-se que os recursos para isso sejam obtidos com os lucros das vendas.

Por que calcular a margem de contribuição?

Continuando o exemplo acima, o empreendedor tem que avaliar se os R$ 10.200,00 gerados pela venda das 200 unidades serão suficientes para cobrir as despesas fixas citadas (Aluguel, salários, energia elétrica, etc.) mais o seu próprio pró-labore ou se esse valor é insuficiente para manter a empresa.

Em posse dessa informação e constatando que esse valor seja insuficiente o empresário tem que avaliar algumas saídas:

• Traçar uma estratégia mais agressiva para aumentar as vendas?
• Projetar um aumento do preço por cada unidade vendida?
• Negociar menor custo na aquisição da mercadoria junto ao fornecedor?
• Avaliar trocar o local da empresa em busca de um aluguel mais barato?
Aumentar o mix de produtos vendidos para maximizar as receitas/lucros?

Enfim, como dissemos no início desse artigo o exercício de calcular a margem de contribuição é fundamental para avaliar a viabilidade ou não do negócio.

Ponto de equilíbrio

O ponto de equilíbrio, também conhecido como break even point é o ponto onde a empresa “zera” suas contas, ou seja, o total da receita obtida comas vendas é igual ao total dos custos e despesas.

A partir desse ponto, tudo o que a empresa vender a mais é lucro.

O ponto de equilíbrio é conhecido graças ao cálculo da margem de contribuição.

Cuidados ao calcular a margem de contribuição.

O empresário tem que fazer um levantamento bastante preciso das informações financeiras de sua empresa.

Conhecer com exatidão seus custos e despesas é fundamental para o correto cálculo da margem de contribuição e consequentemente o ponto de equilíbrio da empresa.

Além disso, todo empreendedor precavido deve sempre calcular uma margem de segurança em suas projeções, afinal é isso que elas são, projeções, e raramente elas se concretizam com 100% de certeza.

Se a margem de contribuição não é conhecida, a empresa pode estar tendo ótimas vendas, mesmo assim, dando prejuízo.

Margem de contribuição impacta na estratégia

Conhecer a margem de contribuição dos itens vendidos é fundamental para a estratégia da empresa como um todo.

Como abordamos antes no texto o empresário tem que ajustar a operação de acordo com os números analisados.

É matemática pura!

Haverá momentos em que se pode optar por vender mais com margens menores, ou vender menos com margens maiores, negociar descontos, enxugar custos, enfim exige que o empreendedor tenha grande conhecimento de sua empresa e do seu ramo de atividade.

Além disso o cálculo desse indicador permite ao empresário decidir se mantém produtos com baixa margem de contribuição no portifólio da empresa, por serem considerados produtos estratégicos ou no extremo oposto, encerrar as vendas desse produto, quando ficar contatado que não vale a pena mantê-los no estoque.

Conclusão

Manter com frequência o cálculo da margem de contribuição é um exercício fundamental na gestão da empresa.

Essa prática vai ajudar a empresa a traçar as melhores estratégicas e sempre estar atualizada em relação ao que acontece no seu ambiente interno e no próprio mercado, afinal o mundo ficou dinâmico demais.

Esperamos que nosso material possa ter lhe ajudado.

Obrigado por nos acompanhar em mais esse artigo em nosso blog.

Acompanhe-nos por aqui e em nossas redes sociais que sempre publicaremos materiais sobre segurança digital e assuntos de interesse da gestão das empresas.

Obrigado e até o próximo artigo!

Compartilhe

Post anterior:

Próximo post: