Afinal, como saber se caí na malha fina? A Unimake responde!

por Equipe de Conteúdo

Atualmente, empresas de médio e grande porte enfrentam desafios relacionados a descentralização de decisões e prestações fiscais. Não raramente, pequenos empresários também relatam dificuldades em acompanhar todas as rotinas empresariais.

A malha fiscal, popularmente conhecida como malha fina, é um ótimo exemplo disso. Como sabemos, as empresas devem prestar a Declaração de Imposto de Renda, instância analisada pela Receita Federal brasileira, na qual são averiguadas todas as informações descritas. Caso existam diferenças entre a declaração e dados de terceiros, uma análise mais detalhada é requerida.

Deseja saber se caiu na malha fina da Receita? Então, siga com a UNIMAKE e descubra como receber a sua restituição do fisco!

O que é malha fina?

Cair na malha fina, popularmente conhecida como malha fiscal, é quando a declaração do Imposto de Renda é confiscada para análises mais profundas. Nesta ocasião, a Receita Federal analisa com detalhes declarações, informações incompletas ou com ambiguidade.

Além disso, a malha fiscal também é requerida em casos com suspeitas de fraude. Outros motivos também surgem como as principais razões para que os contribuintes caiam na malha fina. Fique por dentro de algumas razões e corrija-as quanto antes:

  • falhas na digitação dos documentos;
  • declaração de valores incorretos;
  • ausência de rendimentos declarados;
  • falta ou erros nas informações cadastrais;
  • falha na inclusão de dependentes ou ausência de rendimentos declarados;
  • informações ambíguas ou diferentes da fonte financiadora.

Fique atento ao preenchimento da declaração de Imposto de Renda realizada anualmente, e principalmente, não caia nos erros descritos acima. Se você está se perguntando “como saber se cai na malha fina?”, a UNIMAKE responde logo na sequência.

Conheça o Gestor na Mão: o aplicativo de celular para gestão empresarial.

Como descobrir se caí na malha fina?

Muitos gestores nos perguntam como saber se caíram na malha fiscal. Desde empresários até outros declarantes, com frequência são detectados erros na declaração do Imposto de Renda. Agora que sabemos as principais razões, veja o que fazer nessas horas.

Caso você não tenha recebido a restituição do Imposto declarado, prontamente acesse o e-CAC, o portal da Receita Federal. Lá você monitora o estado da declaração, antes mesmo da data limite para a restituição do valor. Entenda todo o processo:

  1. realize o login utilizando a senha cadastrada ou o código de acesso único;
  2. localize “Meu Imposto de Renda” entre as abas na página;
  3. acesse “Extrato do Processamento da DIRPF”;
  4. posteriormente, entre em “Processamento”;
  5. na sequência, clique em “Pendência de Malha”;
  6. neste momento, todas as pendências irão aparecer listadas.

Caso não existam pendências em lista, você não caiu na malha fina. Agora, se a sua intenção é saber como driblar esta situação e evitar estas falhas, nós preparamos um tópico completo logo abaixo.

Controle Financeiro Empresarial: entenda a importância!

Como evitar cair na malha fiscal?

Para driblar a malha fina, os empresários devem estar atentos às boas práticas de gestão. Desde os princípios básicos de organização de documentos, até mesmo a centralização das informações em um mesmo sistema, a UNIMAKE preparou tópicos que vão ajudar você a lidar melhor com a malha fiscal:

1. Discordância nos informes de rendimentos

Documento fundamental para empresas em diversos segmentos, o informe de rendimentos declara quais foram os valores gastos pelo declarante no período analisado. Para declarar o seu informe, o banco de dados da Receita Federal viabiliza as informações.

Caiu na malha fina, e na declaração consta diferenças nos informes de rendimento? Procure agendar horário com a Receita, e com os documentos emitidos pela corretora ou banco, regularize a situação fiscal.

2. Erros de digitação

Os erros de digitação são uma das causas mais comuns que levam as pessoas a cair na malha do Fisco. Portanto, antes de enviar a sua declaração para a Receita Federal, revise os dados inscritos, bem como, esteja atento se eles estão completos. Caso você receba esta notificação, saiba que regularizá-la é um processo simples. Mas esteja atento com as datas limites para evitar multas.

3. Omissão de informações

Nesse tópico, a declaração correta de recebimento de pensões, aluguéis e renda de dependentes é essencial para quem desejar não ter problemas com o Fisco. Quando existem omissões nos comprovantes de renda, a Receita Federal realiza uma notificação ao declarante, que deverá prestar declarações de maneira presencial.

Já no caso dos aluguéis, caso o pagamento é feito de maneira direta ao declarante, o valor deve ser declarado à Receita Federal, através do e-CAC. Caso o intermediário seja uma imobiliária, os rendimentos devem ser comprovados com informes.

4. Inclusão de dependentes

Essa é uma das causas mais frequentes dos declarantes divorciados que caem na malha. Apenas quem possui a guarda da criança deve declará-la como sua dependente. Já quem paga pensão, pode declarar os filhos como alimentandos.

Como saber se caiu na malha fina da Receita nestes casos? Caso esse seja o seu motivo, apresente ao Fisco os documentos que comprovem a guarda ou pagamento de pensões.

Como isso pode prejudicar o empreendedor?

Cair na malha fiscal prejudica o departamento financeiro das empresas, afinal de contas, as multas que advêm destas práticas poderiam ser substituídas por investimentos lucrativos a médio e longo prazo. Além disso, a prática também sinaliza uma desorganização dos documentos e informações descentralizadas, um fator crítico em diversos empreendimentos.

Logo, encontrar ferramentas para o gerenciamento empresarial é essencial para a saúde das finanças de todo empreendedor de sucesso, e disso, a UNIMAKE entende bem, não é mesmo?

Veja também: a importância de escolher um sistema de gestão para sua empresa

Gostou de conhecer o que é a malha fina e de que formas não cair nela? Então, siga acompanhando os conteúdos que a UNIMAKE prepara semanalmente aqui no Blog. Além do mais, compartilhe com amigos e parceiros de negócios interessados no assunto.

Compartilhe

Post anterior:

Próximo post: