Brasil apresenta melhoria no índice da UIT que mede o acesso à internet e à telefonia

por Equipe de conteúdo

A União Internacional de Telecomunicações (UIT) publicou hoje a edição 2013 do estudo anual “Medindo a Sociedade da Informação”. que avalia o acesso à internet, telefonia celular e fixa em 157 países. A edição deste ano, baseada em dados de 2012, mostra evolução do Brasil nas TICs (sigla de “tecnologias de informação e comunicação”).

O relatório foi apresentado hoje em Brasília pelo chefe da Assessoria Internacional da Anatel, Jeferson Fued Nacif, e pelo diretor regional da UIT para as Américas, Bruno Ramos.

A UIT calcula o Índice de Desenvolvimento das TICs (IDI) considerando 11 indicadores diferentes relacionados a infraestrutura e acesso, uso e habilidades. Esse índice mede o nível de desenvolvimento da sociedade da informação nos países avaliados e vem sendo publicado desde 2009.

O ranking dos países mais conectados do mundo é liderado pela Coreia do Sul, com um índice de 8,57. Em seguida, vêm Suécia, Islândia, Dinamarca, Finlândia, Noruega e Países Baixos. Os cinco países que mais subiram foram Emirados Árabes Unidos, Líbano, Barbados, Seychelles e Bielorrússia.

Com o índice de 5,00 o Brasil fica em 62º lugar no ranking do IDI. Vale destaque ao aumento do índice geral brasileiro de 4,59 para 5,00 o que o coloca entre os dez países que mais avançaram nesse aspecto.

De acordo com o relatório, no Brasil a penetração da banda larga móvel aumentou de 22% em 2011 para 37% ao final de 2012, sendo que 88% da população estava coberta com a tecnologia 3G.

A proporção de domicílios com computador no Brasil, de acordo com a UIT, subiu de 45% para 50% no final de 2012. A proporção de domicílios com acesso à internet mostrou um crescimento ainda mais significativo, subindo de 38% em 2011 para 45% em 2012. Um dos motivos que explica tal crescimento é o Plano Nacional de Banda Larga, que prevê diversas medidas para levar o acesso à internet em banda larga para mais de 40 milhões de domicílios até 2014.

Cesta de preços

O estudo apresenta também os últimos resultados da Cesta de Preços de TICs, o primeiro levantamento completo de dados dos preços dos serviços móveis de banda larga, o primeiro modelo da população dos chamados nativos digitais e uma evolução quantitativa das tendências recentes na TV Digital.

A cesta de preços da UIT forma-se pela composição de preços de telefonia fixa, móvel e internet banda larga fixa computados como um percentual do Produto Nacional Bruto per capita (PNB per capita). A cesta de preços, que inclui tributos, fornece um comparativo internacional e avalia o quanto os referidos serviços estão acessíveis tanto em valores absolutos quanto relativamente ao poder de paridade de compra (purchasing power parity– PPP) dos nacionais.

De acordo com a metodologia aplicada pela UIT, as três primeiras posições no ranking de menores custos dos serviços estão ocupadas por Macau (China), Catar e Hong Kong (China), onde os usuários gastam, respectivamente, 0,2%, 0,4% e 0,4% de suas rendas com a cesta de serviços de telefonia fixa, móvel e banda larga. O Brasil está em 93º lugar entre os 161 países comparados. Aqui, 4,0% da renda do cidadão é consumida pela cesta de serviços estipulada pela UIT.

Pela primeira vez a UIT elaborou um modelo para estimar a população nativa digital no mundo. São considerados nativos digitais os jovens conectados, de 15 a 24 anos de idade, com cinco ou mais anos de experiência online. O Brasil ocupa o 37º lugar no ranking, com 60,2% dos jovens dessa faixa etária conectados, equivalente a 20.081.178 pessoas, o que corresponde a 10,1% da população total do país.

Documento relacionado

Link relacionado

Para mais informações sobre o relatório, acesse http://www.itu.int/en/ITU-D/Statistics/Pages/publications/mis2013.aspx

Fonte: Anatel

 

 

Compartilhe

Post anterior:

Próximo post: