Custos e despesas, você sabe a diferença?

por Equipe de conteúdo

Custos-e-despesas

O caminho para a excelência em gestão começa com pequenos passos.

Saber a diferença entre custos e despesas é uma delas.

Nesse artigo vamos dar uma breve visão sobre esse assunto.

O que são despesas?

Despesas são todos os valores gastos com bens e serviços necessários à manutenção da empresa em geral.
Folha de pagamento, aluguel, publicidade, material de expediente, são exemplos de despesas.
São desembolsos que a empresa precisa realizar para manter-se funcionando.
Independentemente do volume de produtos produzidos e/ou vendidos as despesas são gastos necessários para manter a empresa aberta.

O que são custos?

Pode-se considerar como custo todo valor gasto na produção de produtos ou prestação de serviços alvo da atividade fim da empresa.
Aparecem na categoria de custos todo tipo de matéria-prima e energia usada para a produção de bens.
A folha de pagamento, quando de pessoal envolvido diretamente na produção também é considerado como custo.
São exemplos de custos a borracha usada na fabricação de pneus, o plástico usado na fabricação de brinquedos e assim por diante.
Um prestador de serviços que utilize produtos (ou outros serviços) para prestar o serviço final também deverá contabilizar tais gastos como custos.

Como diferenciar despesas de custos?

O primeiro passo para é ter clareza que os custos tem a capacidade de serem atribuídos ao produto final da empresa.
As despesas por outro lado são sempre de natureza geral, fato que torna mais complexo vinculá-las diretamente aos itens produzidos pela empresa.

Uma forma eficaz de diferenciar custos e despesas na rotina é questionar se determinado gasto fosse eliminado, se a produção seria afetada.
Caso positivo, esse gasto pode ser considerado como custo.
Caso a resposta seja negativa, o gasto é considerado como uma despesa.

Exemplos de despesas e custos

Dentro dessa lógica um bom exemplo de despesa são os gastos com publicidade.
Ainda que houvesse uma redução ou mesmo um corte total no investimento dessa atividade a produção de bens ou serviços da empresa não seria afetada.
Um dos reflexos talvez fosse uma queda nas vendas, mas nada relacionado com a produção em si.
Voltando ao exemplo da fábrica de pneus, os gastos com a compra de borracha para a fabricação de pneus, tratam-se sim de um custo.

Caso este gasto fosse cortado, os pneus não poderiam ser produzidos, o que afetaria diretamente o estoque e a produção da empresa.
Em resumo os custos estão sempre ligados a gastos de produção e vinculados de forma direta a produtos e a serviços da empresa.
A esta chamamos de atividade-fim.

As despesas são os desembolsos com a parte administrativa (gestão), vendas e outros que não se relacionam de forma direta com a produção de bens e serviços.
A estas chamamos de atividade-meio.

Despesas Custos

Classificação de custos e despesas: fixos ou variáveis?

Outra questão importante que devemos observar com relação aos custos e despesas é sua natureza: Fixos ou variáveis.
Como o próprio nome diz, custos ou despesas fixas são aqueles que não mudam, independente do volume de produção e vendas da empresa.
Um dos mais fáceis de identificar nessa categoria é o aluguel.
Aconteça o que acontecer, seu valor tende a ser o mesmo todos os meses.

Logo independente do volume de atividade da empresa o gasto é o mesmo todos os meses.

Outros exemplos de despesas fixas, podem ser internet (depende do contrato que a empresa tem com o fornecedor), honorários contábeis, seguros, taxas de funcionamento e tarifa de água, tendem a ser despesas fixas também.
Lembrando que se a água for um insumo (numa fábrica de refrigerantes por exemplo) ela torna-se um custo e nesse caso seria variável, pois estaria atrelada diretamente ao volume produzido.
A regra é bem simples, tudo o que não sofrer variação em decorrência do volume produzido é uma despesa ou um custo fixos.

Custos caixa e custos não caixa

Uma outra forma de classificação dos custos e despesas é analisa-los sob o efeito do impacto no caixa e impacto contábil.
Os custos com efeito caixa são aqueles que impactam diretamente o caixa da empresa, ou seja, há uma efetiva saída de recursos financeiros.
Podemos ter claro como exemplo de custos caixa o pagamento de fornecedores de matérias-primas para a produção.

Por outro lado, os custos não caixa não apresentam uma saída financeira.
A depreciação é uma delas.
Um bem tem seu valor contábil diminuído ano a ano até que em um determinado momento seja contabilizado como valor zero.
Na teoria durante o passar do tempo a empresa foi vendo o valor de seus ativos fixos sendo reduzidos, sem necessariamente ter tido desembolso de caixa com isso.

Que tal dar um passo adiante na gestão da sua empresa?

A Unimake é especialista em software de gestão ERP para empresa de varejo e agroindústrias.

Um sistema de gestão usado adequadamente é o pilar da admnistracao de empresas de sucesso.

Converse conosco sem compromisso pelo e-mail comercial@unimake.com.br ou pelo fone 44 3141-4900.

Se preferir pode fazer contato com nosso whatsapp comercial clicando aqui.

Compartilhe

Post anterior:

Próximo post: