SEFAZ SP | Fim do emissor gratuito de NF-e e CT-e requer mudanças para algumas empresas

por Equipe de conteúdo

NF-e Unimake

Justificativa da descontinuidade seria a baixa adesão do empresariado às soluções oferecidas pelo órgão.

A SEFAZ SP, mantenedora dos softwares gratuitos de emissão de NF-e e NFC-e determinou o fim do fornecimento dos aplicativos gratuitos de emissão de NF-e e CT-e no inicio de 2017.

A medida exigirá que as empresas que ainda se utilizam dos aplicativos fornecidos por aquele órgão busquem no mercado soluções proprietárias o tão logo possível, uma vez que a partir de janeiro os mesmos não receberão mais atualizações.

Segundo a entidade a decisão se dá pelo baixo volume relativo de empresas usando as soluções atualmente, 7,8% de todos os contribuintes emissores de NF-e e 3,7% dos emissores de CT-e.

A Unimake software disponibiliza ao mercado duas modalidades de emissão de NF-e, seu software integrado de gestão, o Único, que pode ser configurado apenas para emissão de NF-e e CT-e ou para controle gerencial completo, sendo este indicado para clientes finais e o UNINFE, componente que faz a mensageria dos arquivos XML de NF-e e CT-e integrável a softwares emissores de terceiros e que faz grande sucesso entre as software houses do país.

Fale com nosso equipe no canal www.suporte.unimake.com.br que teremos grande satisfação em passar todos os detalhes de funcionamento de nossos produtos.

Leia na integra o comunicado da SEFAZ-SP:

A Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo informa que a partir de janeiro de 2017 os aplicativos gratuitos para emissão da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) e do Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e) serão descontinuados.

Com a gradual adesão das empresas aos sistemas de documentos eletrônicos, o Fisco Paulista verificou que a maioria dos contribuintes deixou de utilizar o emissor gratuito e optou por soluções próprias, incorporadas ou personalizadas a seus sistemas internos.  No mercado há muitas opções de emissores, alguns deles com uma versão básica gratuita.

Os emissores gratuitos são oferecidos pela Secretaria da Fazenda aos contribuintes desde 2006, quando teve início o processo de informatização dos documentos fiscais e sua transmissão via internet com o objetivo de massificação do seu uso. Apesar dos investimentos realizados, recente levantamento da Secretaria da Fazenda aponta que o total de NF-e’s geradas por empresas que optaram por emissores próprios somam 92,2%. No caso do CT-e, o número é ainda maior: 96,3% dos documentos são gerados por emissores próprios.

Os contribuintes que tentarem realizar o download dos emissores de NF-e e CT-e receberão a informação sobre a descontinuidade do uso dos aplicativos gratuitos. A partir de 1º de janeiro de 2017 não será mais possível fazer o download dos emissores.

A Secretaria da Fazenda recomenda que os usuários que já tenham o aplicativo instalado, façam a migração para soluções próprias antes que a introdução de novas regras de validação da NF-e e do CT-e impeçam o seu correto funcionamento.

 

Compartilhe

Post anterior:

Próximo post: