Sua empresa faz benchmarking ou benchmark?

por Equipe de conteúdo

Benchmarking Unimake

BENCHMARKING ou BENCHMARK?

É comum ouvir por aí que um empreendedor não precisa ter soluções criativas para tudo, mas que deve ser bom em fazer benchmarking. Ou seria benchmark? Eis a diferença: benchmarking é o ato de identificar algumas empresas que são excelentes em algum aspecto e copiar ou adaptar as práticas que as tornaram boas naquilo. Benchmark, por sua vez, é a empresa que é boa naquilo. A Souza Cruz, por exemplo, é benchmark em logística. Já um empreendedor que se inspira e tenta adaptar o jeito Souza Cruz de fazer o leva e traz à sua realidade está fazendo benchmarking. Saiba mais.

ORIGEM:  Quando viajavam, os romanos faziam marcas (“marks”) em bancos (“benches”) das cidades pelas quais passavam para indicar a que distância estavam de Roma — a referência para eles. Daí surgiu a palavra benchmark, que pode ser traduzida como “marca de referência”.

PARA QUE SERVE: Fazer benchmarking pode ser uma boa técnica para quem quiser melhorar algum processo na empresa ou começar um novo projeto. Nesses momentos, ter uma referência ajuda a diminuir o tempo de execução e pode aumentar as chances de sucesso.

COMO FAZER: Um funcionário precisa ser destacado para visitar a em-presa-referência e compreender o processo em que ela é boa. Depois, deve estudar como adaptar a técnica, fazer um cronograma de implantação e medir os resultados para saber se o objetivo foi alcançado.

Fonte: The American Heritage Dictionary of the English Language. Acácio Hypólito, professor da Faap, e Marcelo Boshi, professor da ESPM Rio publicado na Exame PME | Fevereiro 2015.

Compartilhe

Post anterior:

Próximo post: